Tudo o que você precisa saber sobre hospedar pessoas.

por em Geral

Em geral, recebo muitas perguntas sobre hospedar pessoas. Fico feliz de ter ajudado alguns a começarem a fazer o mesmo e também de falar a verdade quando acho que a pessoa não tem o menor perfil. Para facilitar a minha vida e talvez a sua, resolvi compilar aqui tudo o que me perguntam. 😛

-Qual o site que você usa? Para alugar o quarto, o Airbnb. Tenho um código especial que dá um $ extra para quem quer se hospedar ou quem quer colocar a casa pra alugar, qualquer coisa, me peça antes de se cadastrar. Se você não quer fazer parte do site, procure grupos de dividir moradia no Facebook da sua cidade. Em Curitiba tem o REI também.> Para hospedar gratuitamente ainda tem o Couchsurfing, Warmshowers e alguns outros.>

 -Você tem medo? Essa pergunta me parece bastante impertinente. Normalmente, primeiro me perguntam se eu tenho medo, ao invés de me perguntarem algo positivo. Logo, se faço isso há tantos anos, eu não tenho medo. Se você pensa na palavra “medo”, não hospede.

-Mas você tranca o quarto? Não, e nunca trancarei. Coloque-se no lugar: você vai para uma casa e os quartos estão trancados. A única razão de estar trancado é porque acham que você pode roubar alguma coisa. Legal essa sensação, né? Fora que eu não tenho essa paranóia de que as pessoas querem algo que é meu.

-Já roubaram alguma coisa de você? Qual foi a pior história? Pois é, me perguntam mais sobre isso do que “qual foi o melhor hóspede ou sua história mais legal”.  A pior história foi de uma espanhola muito louca que recebi, que não aceitava escutar nada, xingava e depois pedia desculpa. Pedi pra ela sair e nossos últimos dias foram bastante horríveis, mas simplesmente porque a personalidade dela era péssima. Isso pode acontecer com um namorado, um amigo, família ou um hóspede. Depois ela foi morar na casa de outro vizinho e ele também a expulsou. Pra não dizer que ela não me roubou, ela levou toalha de banho (haha!) e pegou de volta o dinheiro que ela tinha me dado do aluguel. Mas foi uma história ruim no meio de 100 histórias maravilhosas.

-Você ganha dinheiro? Se você hospeda mais pessoas por menos dias, você ganha bem mais dinheiro. Hoje em dia eu acabo dividindo a casa por mais tempo porque é menos trabalhoso, então, não gosto dessa ideia de “lucrar bem mais com um gringo”, eu divido as contas normalmente e cobro uns 100 reais a mais pelo uso de tudo.

-Então você poderia dividir com um brasileiro. – Hospedo brasileiros por pouco tempo. Mas para dividir por meses, prefiro estrangeiros. Acaba sendo bom saber que dividirei a casa por “x tempo”, porque com um brasileiro seria por tempo indeterminado e eu gosto de uma rotina mais movimentada. Além disso, o contato com estrangeiros abre minha cabeça, aprendo sobre cultura, história, música, cinema, jeitos de cozinhar, etc.

10494587_10203445367109693_2158866094770725411_n
10 meses de amor! <3

-As pessoas são limpas?Depende. Algumas sim, algumas não. Tenha em mente que ninguém vai fazer as coisas como você faria. Então, relaxe. Mais vale limpar um pouco mais e ter uma convivência tranquila. Se eu vejo que a pessoa é um verdadeiro “tsunami” eu sugiro que pague uma diarista a mais no mês, é uma opção não ajudar tanto na limpeza. Ou então, delego umas tarefas mais fáceis para não ficar sobrecarregada. Mas normalmente quem troca toalhas do banheiro, pano de chão, de prato, etc, sou eu.

-Você oferece café da manhã?Para estadias mais curtas, sim. Claro que se a pessoa vira um “roomie” normal cada um é responsável pelas suas coisas. Porém, acho básico oferecer café da manhã e toalha de banho para viajantes. Você gosta de viajar com toalha molhada na mala? Não. Então, vamos fazer nosso melhor. Se eu tenho tempo, preparo o café. Se não tenho, deixo as coisas à disposição.

-Você divide comida? Eu acho que não existe coisa mais infantil do que colocar etiqueta na sua comida e proibir que o outro coma o que é seu. Tirando coisas específicas que vou usar para algum prato especial, eu compartilho tudo. Eu não conseguiria viver com alguém que me diga que estou devendo 1,50 do detergente.

A REGRA MAIS VALIOSA: ao invés de tentar fazer um hóspede mudar ou se adaptar às suas regras, pense que talvez essa pessoa não sirva para morar com você. Se eu preciso falar, avisar ou ensinar tudo para alguém, essa pessoa realmente não é ideal para morar comigo. O melhor companheiro de casa é aquele que entende como as coisas funcionam no seu lar e se adapta naturalmente. O melhor anfitrião é aquele que também se adapta com cada companheiro de casa. O meu jeito de hospedar não tem uma lista de regras. Mas eu tenho certeza que algumas pessoas preferem ter tarefas e regras a seguir. Ou seja, sempre existe sua tampinha da panela.

1544395_10200571526290894_2008141149_n
Nadja, alemã. Quase 6 meses de muita alegria.

10246640_1432741746975369_6194963888870689570_n

-Na sua casa tem regras? –Lavar sua louça e me avisar quando for chamar pessoas para jantar ou dormir (eu também aviso) e acho que só. Eu não tinha essa regra, até um dia que convidei pessoas para jantar e minha amiga francesa também havia chamado. Também já acordei de pijama e esbarrei com pessoas estranhas, o que não é muito legal.

Dá trabalho? -Sim. Você tem que responder os pedidos, dar dicas, instruções, deixar o quarto extremamente limpo (chão, vidro, lençois, edredom, etc). Porém, é maravilhoso. Antes de hospedar pessoas me lembro que eu tinha várias pendências na casa “arrumar fechadura”, “trocar fiação”, etc. E de repente me vi mais disposta a deixar a casa linda e funcional, o que é um grande benefício pra mim também. Eu fico bem mais organizada quando divido casa.

-Mas e se quebrarem alguma coisa?No Airbnb você tem a opção de cobrar uma taxa de segurança, que é devolvida 24h depois da saída do hóspede. Também, pelo mesmo site, eles oferecem um seguro. Caso você negocie fora do Airbnb, diálogo resolve. Já quebraram liquidificador, cafeteira, panela, mas sempre compraram de volta.

-Você hospeda homens?-Nunca dividi minha casa com um homem heterossexual por mais tempo, porque eu gosto de ter minha liberdade em casa. Só morei por vários meses com mulheres e por 10 meses com um gay. Mas em relação à hospedagens mais curtas gosto de perfis diferentes, casal, gente mais velha, mais jovem, brasileira ou estrangeira não me importo.

-Você leva para passear?Nem sempre vou passear, mas sempre gosto de ter momentos de interação. Se a pessoa fica 1 noite, no mínimo tomo um chá ou faço uma comidinha. Mas normalmente, meus hóspedes que moram comigo mais tempo viram meus melhores amigos.

Se você quer fazer isso por dinheiro meu amigo, NÃO FAÇA. Aprenda a fazer chocolates para vender, investir na bolsa de valores, venda suas roupas ou faça um empréstimo no banco. Muitas pessoas têm apego às suas coisas e não conseguem dividir casa, e não tem nenhum problema nisso. Mas não transforme o seu lar em um ambiente em que você não está confortável. Além disso, hospedando apenas por dinheiro você pode fazer uma coisa muito ruim: comprometer a experiência de intercâmbio de alguém.

Captura de Tela 2014-12-23 às 11.43.34
Cubana, alemã, francesas e meus queridos vizinhos que também hospedam pessoas.

Eu sempre penso que posso ser responsável, em partes, pela experiência desses estrangeiros no Brasil. Logicamente eles acabam conhecendo a cidade e o país com meus olhos, porque gosto de fazer guias de viagens, de mostrar os lugares que frequento e de apresentar os meus amigos. Afinal, todos nós sabemos que uma viagem é feita de pessoas, muito mais do que lugares.

Cada um tem o seu jeito de hospedar, esse é o meu. Gosto de oferecer minha disponibilidade, ajuda, amizade. Quero que cada pessoa que fique na minha casa, seja um amigo ou hóspede, sinta-se realmente à vontade e independente. É isso. 🙂

Em tempo, o vídeo que fiz com uns amigos pra mostrar o que é hospedar com o coração.

Captura de Tela 2014-12-23 às 11.24.01
Milena, alemã. Companheira de casa atual > temos que nos tratar como rainhas.
Captura de Tela 2014-12-23 às 11.42.20
Hóspedes ingleses que me ensinaram MUITO sobre música.
Captura de Tela 2014-12-23 às 11.45.02
Eu e a Nadja hospedamos esse casal de quase 70 anos da Colômbia, que nos inspiraram a fazer o site www.feelthebutterfly.com

Comentar via Facebook

Comentar via Blog

1 comentário

  1. Eliana Miguel

    Como voce, nao me sinto invadida quando alugo um quarto do meu apartamento. Adoro a experiencia, o convivio, o aprendizado.
    So que agora moro no Canada, Provincia de Quebec e preciso alugar o meu apartamento que fica na Cardoso de Almeida, em Perdizes. Ele e mobiliado, tem os eletrodomesticos, os utensilios de cozinha. Nao e sofisticado, e claro, ensolarado, ventilado, um verdadeiro lar. Como devo proceder para aluga-lo para estrangeiros anualmente? Eu nao estarei la. Tirei os lencois e ad toalhas de banho. Como fica? Deixei protetores fe colchao, dois guardanapos de cozinha e algumas toalhas de mesa da cozinha e da sala.
    E o contrato? Como seria feito? Por favor, me de dicas.

    Responder