diga

por em Textos
tem gente que diz e desdiz. – a palavra desdizer existe, ainda que eu acredite que não seja possível fazer desparecer o que foi dito – e se for pra negar o que disse, melhor falar com as paredes.
desdizer, só vale, se for assumimento que disse, mas não queria mais dizer, digo; que mudou de ideia, de que algo aconteceu entre o momento do dizer e o do não cumprir. 
desdizer só vale se for no sentido– um carro passou, me atropelou, bati a cabeça, fiquei idiota, me encontrei, mudei de ideia, tenho medo e por isso, estou desdizendo aquilo que falei. mas que eu disse, disse.
sim, porque eu sei que as palavras viram outra coisa bem maior do que essas letrinhas juntas. elas viram sentimento, materializam ideias e inventam até amor.
palavra é foda, dizer também.
dizer é ler em voz alta um pensamento.
o problema é que o pensamento, às vezes, é rápido demais, e quando viu, já disse. oxe.
entendi tudo; entendi quando me falavam pra não falar sem pensar.
sendo assim, o contrário de não falar sem pensar é falar muito se pensou demais?
acho que sim.
então, queria dizer que pensei demais, penso demais, o tempo todo. por isso, escrevo e falo pra caralho.
falo muito, e por isso te digo tanta coisa.
mas prometo juro confesso que não tô falando sem pensar.
pensei, falei e disse.
só espero não desdizer tão logo.
nem pra mim, nem pra você.
porque é um sufoco tão grande dizer, que desdizer seria uma sacanagem. mas tudo bem, ando a falar só com as paredes mesmo.
9069072531_2232b471b2_b

Comentar via Facebook

Comentar via Blog