deslocamento.

por em Textos

As roupas não estão secando no varal. Eu gosto de roupas limpas. No Brasil eu tinha que gostar muito de uma peça, assim, tinha que ser especial, para eu levar até a lavanderia. Hoje foi a primeira vez em quase 30 anos que levei muitas roupas para lavar e secar.Vai custar 8 euros. Uns 35 reais, dava pra ir no Thai da esquina. Mas prefiro ter roupa limpa que ir no Thai comer meu prato favorito que são vegetais com pasta de amendoim e uma sopa de banana e tofu. Não consigo comer sozinha as duas coisas, preciso dividir.
Vai durar 34 minutos apenas a lavagem. Enquanto eu espero, vim parar aqui. Por quê raios preciso sempre me distrair na espera?
Neste café, pareciam todos personagens deprimidos. Havia a senhora que atendia, uma senhora perto da morte sentada, e dois homens separadamente bebendo Sagres. Do momento que entrei e pedi minha meia de LEITCHI (não tomo leitchi em casa, só mesmo na meia de leitchi), até o momento de receber 30 céntimos de troco, não se ouviu um ruído. Nada. Ninguém me disse “tá bem”, “obrigada”, ou “são 70 céntimos”. Pareceu que eu era surda e que não podia escutar nada. Mas a verdade é que ninguém falava nada, a televisão estava no mudo e não havia música, nem carros a passar. O silêncio só foi rompido pela máquina de café. E eu me senti uma estranha num lugar que eu não deveria estar. Senti a tristeza destas pessoas neste domingo. Senti que gostariam de estar a fazer qualquer coisa menos estar neste café que tem um cheiro de coisa guardada que lembra o cheiro que não gosto da casa da minha avó materna e me sinto tão culpada por não gostar da casa dela, ou de lembrar dela por causa de um cheiro que eu definitivamente não gosto.
———–
26907660_1980406055542266_4474998093800368804_n

Comentar via Facebook

Comentar via Blog