De-limitar contornos

por em Geral
“The Lovers, Magritte”, Michael Kauffmann
“The Lovers, Magritte”, Michael Kauffmann

 

Me disseram, uma vez, que todos temos um contorno pra além da pele que pode ser tanto impermeável, rígido; quanto amorfo, de tão poroso. Seu desenho é dinâmico, vivo, pulsante e depende da forma como nos entregamos e o que aceitamos receber das nossas relações.

A matéria-prima para nosso contorno é a forma como estabelecemos nossos limites.

E são tantas as situações que nos fazem repensar nossos limites… Se apaixonar, perder alguém, uma decepção dolorida, um novo trabalho, uma viagem longa e solitária, voltar de uma viagem longa e solitária.

Repensando minha vida, sempre que perdi as referências me ví num embate entre fazer do meu contorno um traço rígido, geralmente nas situações em que senti muito medo; ou então fazer de mim uma linha porosa, na tentativa absorver com gula tudo e todos a minha volta.

Hoje, sei que não quero ser delineada pela rigidez, pois ela não me permite expandir. Tão pouco quero um contorno amorfo, pois me interessa a consistência.

Quero respeito pelo que tenho de doce, quero poder mostrar o que tenho de amargo.

Principalmente, quando nossas linhas se fundirem – mesmo que por um segundo – me ofereça transparência; eu ofereço honestidade.

Trabalhar no Jalapão é colecionar histórias

Trabalhar no Jalapão é colecionar histórias

por em Geral

Faz seis anos que cheguei nesse pedaço de Brasil: tão diferente de mim, mas tão parecido. Afinal, sou metade sertão. Me propus a viver os extremos, nesse vai e vem entre São Paulo e Jalapão. Aprendi com o Cerrado e, principalmente, com as pessoas que vivem dele. Dessa rica coleção de histórias, tem a de […]

Jd. Angela > NY

Jd. Angela << a arte transforma >> NY

por em Geral, Inspiração

Fiz faculdade (privilégio I) numa universidade pública (privilégio II) de São Paulo (privilégio III). Meu pai nasceu no sertão do Ceará, numa cidade chamada Cedro. Ele foi filho temporão de um casal que dos 12 filhos paridos, apenas 5 vingaram. A cada filho perdido, minha avó gastava um ano de lágrimas. Luto invisível. Pra fazer […]

¿Que deseas de mi?

¿Que deseas de mi?

por em Textos, Viagem

– Falta pouco para eu ir embora. – ¿Você está feliz em voltar? [cara de não sei] >> << [cara de ¿por qué?] – É a primeira vez que eu não vou voltar pra ninguém. – Você vai voltar pra você. (Montevideo, naquele bar antes do Bluzz. Out 2016)   Ultimamente, tenho tido preguiça de entender […]

por aqui, tudo caminhando

por aqui, tudo caminhando

por em Textos, Viagem

Faz algumas semanas, a Bru me convidou pra escrever aqui. Fiquei gastando um tempo pensando em como começar, se eu deveria me apresentar…  Resolvi que o melhor seria começar do meio mesmo. Sem explicação, sem muito contexto. Jogando, aos poucos, mais pistas. O que é necessário saber: estou há dois meses em Montevideo, depois de meses muito, […]