Bruna Castro

voo 1111.

por em Textos

Voo 1111. Poltronas 19 F E D. Sentei na janela mas meu lugar era o corredor. Confundi. Pedem educadamente para que eu sente no lugar certo. Derrubo minha bolsa e papéis. Ele derruba fone, uma pasta de dente cai da sua mochila e levo três cotoveladas sem nenhum pedido de desculpa.
Ele não tira os óculos de sol durante o voo. Abre o aplicativo do HSBC. Eu sabia que ele não era do tipo que tem conta na Caixa fruto de um financiamento.
Em seguida, ele abre um grupo no WhatsApp chamado Eleições 2016.
-Algo do cardápio?, diz o aeromoço.
Respondo que não, obrigada.
Ele é daquele tipinho que sinaliza um não com a mão, com o dedo em riste, mas não abre a boca. Tenho antipatia por esses tipos, confesso.
O fundo da tela do seu celular é uma selfie feia no espelho, o que revela seu mau gosto estético. Tudo começa a indicar minha suspeita: tem um babaca do meu lado. A vida é bem assim.
Também não gosto de quem limpa a boca com guardanapo depois de comer Club social. Club social nem suja, tá limpando o que?
Talvez ele seja um idiota.
_ a única coisa boa é que estou com frio e o calor do braço dele, que não encosta no meu, aquece o lado direito do meu corpo. O calor humano é impressionante, ainda que eu esteja agindo com absoluta frieza ao observar esse homem do meu lado.
Ele é obcecado por guardanapo. Cada gole de água ele limpa a boca! Mas a água é limpa, então não entendo porque ele quer limpar o que já está limpando.
Tomei pra mim que jamais conviveria com um tipo obcecado por guardanapo de papel. Prefiro limpar a boca com o braço direito.
Ele deve estar escondendo alguma coisa, sujeira das feias.
Talvez seja no grupo Eleições 2016 do WhatsApp.

 Jim Darling
Jim Darling

Darling8 Darling13

Vida Simples em Cuba.

Vida Simples em Cuba.

por em Fotografia

A verdade é que tenho uma história um pouco longa e meio maluca para compartilhar com vocês. Será que consigo resumir? Não sei. Acho que devo contar com detalhes. Quando fui para Cuba, em setembro de 2013, comprei uma revista Vida Simples para ler durante a viagem. Por coincidência, havia um ensaio sobre uma pequena […]

desculpas sem fim.

desculpas sem fim.

por em Geral, Inspiração, Textos

desculpa, eu falo de boca cheia. desculpa, a comida ficou meio ruim. não é desculpa, só vi sua ligação agora. sem desculpas, me atrasei. não vá embora. desculpa, peço muitas desculpas de mim. é puro medo de você não gostar de mim assim. fim. ps: mini-conto-da-vida. desculpa, já postei esse texto no face, mas se […]

sorria para um estranho.

sorria para um estranho.

por em Inspiração

Há uns dias tenho visto diversas matérias sobre como nos relacionamos com estranhos, como isso se reflete no mundo e em nós mesmos. (como esse ato da Miranda July: http://www.directorsnotes.com/2011/11/11/miranda-july-on-strangers/) A Bruna fez essa frase, e tudo se conectou. Se você sorrir para um estranho, ele já não será tão estranho assim! <3 bjos e boa semana!

Dêconfiança.

Dêconfiança.

por em Geral, Textos

Esses dias, compartilhei com alguns uma situação desagradável que me aconteceu de novo. Revivi uma decepção. Escutei – “agora você aprende”, “de novo?”, “você já passou por isso”, “não pode ser amiga tão rápido”. Minha mãe fala de ingenuidade, meu pai, de burrice, entre outras coisas que….eu já sei. Eu sei, você também sabe. Passamos a […]

amigo você conta no espaço de tempo.

amigo você conta no espaço de tempo.

por em Geral, Textos

desde pequena, já escutava que um dia eu contaria meus amigos de verdade em uma só mão. a fase de ser amiga de toda a lista da chamada tinha dias contados. não é que hoje eu não possa ser verdadeiramente muito amiga de um número maior de pessoas. apenas não dá tempo. chega uma hora […]

O que eles têm a dizer? – IntraSigna

O que eles têm a dizer? – IntraSigna

por em Geral

Patrice Molle e Nadja Altpeter resolveram fazer uma exposição sobre surdos. Afinal, o silêncio também diz e a interpretação vai muito além do som. Os participantes escolheram uma palavra ou uma expressão em libras, e explicaram o que eles queriam dizer e compartilhar. Mais do que sinais, eles mostraram sentimentos.  Hugo, 7 anos – “Vélo” […]

hasta mañana.

hasta mañana.

por em Geral

das palavras que me acalentam. até amanhã. até amanhã. vou me recolher e talvez pensar um pouco no que vou ser…daqui algumas horas. se os segundos podem definir recordes, o que mais este hiato pode fazer por mim? me acalenta e ao mesmo tempo me percorre, essa ânsia de que algo me espera. ou alguém. […]