Portugal

Respira: a ida ao SEF em Portugal – Autorização do visto de residência.

por em Viagem

Assim como eu, você deve ter lido 5739202 blogs contando o que fazer quando chegar em Portugal e regularizar a sua situação no SEF, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. Prepara, porque o SEF é fácil, chato mesmo é antes. Mas com muito amor no coração e paciência você pode resolver tudo bem rápido. Mas antes de continuar lendo, aviso: cada experiência é diferente para cada pessoa. MESMO. Não há processos em Portugal, depende de quem te atende. Portanto, eu vou compartilhar apenas como foi comigo, e quem sabe alguma dessas dicas pode te ajudar. Lembrando que o meu visto é de residência por motivos de estudo, as outras situações eu não sei como é.

Pré-dica 1: Tudo tem fila e demora. Por isso, leve um livro. A gente sempre reclama que não tem tempo de ler, então, agora você vai ter.

Pré-dica 2: Aprenda a usar as formas de tratamento adequadas na hora de se dirigir às pessoas dos órgãos públicos, faz muita diferença. Não chame ninguém de moço ou moça, seja simpático, porém objetivo. Não vai querer fazer o amigão, isso não é muito bom. Por exemplo, se a pessoa chama Maria, você vai dizer – A Maria precisa de mais alguma coisa? A Maria poderia me ajudar? (Sim, isso mesmo, você fala o nome dela mil vezes. Se você não souber o nome, pode dizer – A Senhora poderia me ajudar?) A conjugação é a mesma que usamos, porém, ao invés de falar você, use o nome ou Senhora\Senhor.

O que você vai precisar para ir ao SEF:

1- Se você chegou na Europa em outro país que não seja Portugal, você precisa ir ao SEF nos primeiros 3 dias para mostrar sua chegada. Imprima um documento e leve no balcão de atendimento. Leia aqui. Caso você tenha chegado por Lisboa, tranquilo. Dica: chegou, LIGA NO SEF, porque a fila é grande. A ligação vai demorar uns 20 minutos para te atenderem, normal, ok? Show. Número: 808 202 653 rede fixa ou 808962690 de celular, chamado aqui de telemóvel.

2- Seguindo a lista do SEF com meus comentário em cada um:

  • Pedido apresentado presencialmente, em impresso próprio, assinado pelo requerente ou sendo menor ou incapaz, assinado pelo respetivo representante legal – (Isso é nada mais do que um papel que eles te dão na hora para preencher)
  • Duas fotografias iguais, tipo passe, a cores e fundo liso, atualizadas e com boas condições de identificação, excepto nos postos com atendimento SIGAP (Eu levei a foto por segurança, tirei numa dessas máquinas dentro de estação de metro, porém, o SEF de Lisboa tira foto lá, não era preciso levar)
  • Passaporte ou outro documento de viagem válido (Óbvio)
  • Visto de residência válido (Óbvio, ou seja, o visto está dentro do seu passaporte)
  • Comprovativo dos meios de subsistência, conforme previsto na Portaria n.º 1563/2007, de 11/12 (Tranquilo, você precisa tirar um extrato simples da sua conta de um banco português, e não precisa ter mais que 1 salário mímimo português, algo como 650 euros. Se puder imprimir o extrato em uma folha A4, melhor. Eu levei do extrato do caixa junto a uma cópia do meu cartão)
  • Comprovativo de que dispõe de alojamento (Treta. A primeira coisa que você precisa dar um jeito quando chegar é ter o comprovante de residência emitido pela Junta da Freguesia mais próxima do seu endereço. Já falarei sobre isso mais abaixo)
  • Autorização para consulta do registo criminal (ver impresso) – (exceto menores de 16 anos) (Fácil)
  • Comprovante de matrícula e comprovante que as propinas estão pagas na Universidade (Dica: peça na Universidade para atualizarem seu cadastro com o seu endereço (morada), e depois peça para imprimirem qualquer papel e veja se sai esse endereço no papel. Não é um documento oficial, porém, me ajudou em outros momentos ter um papel emitido pela Universidade com o meu endereço, entendeu? Importante: você precisa ir até a Secretaria da sua Uni pedir o comprovante de matrícula e um documento que diga que você pagou as mensalidades. Porém, o SEF só aceita esse papel emitido com até 30 DIAS de antecedência. Então, não adianta pedir assim que você chegar se a sua data no SEF é daqui 3 meses…)
  • PB4 e insicrção no Centro de Saúde (Já expliquei sobre o PB4 em outro post, coisa mais fácil do mundo. Mas digo para vocês que fiz um plano privado chamado Medis, porque o sistema público de saúde aqui me deixou na mão e eu tenho hérnias de disco, então o bicho pega às vezes.)
  • NIF – Número de Identificação Fiscal, vão te pedir sempre sempre em tudo! (opcional para levar ao SEF, mas é bom que saia o número no seu cartão) (Treta, vamos falar sobre isso ali embaixo. Mas a primeira dica é: não inventa de ir no Serviço de Finanças no Chiado, céloko! É o mais lotado. Prefira ir em um mais longe e chegue bem cedo, tipo antes de abrir.)

Resolvendo as tretas com carinho: O que acontece aqui em Portugal: às vezes você vai na Junta da Freguesia para tirar o comprovante de morada e te pedem o NIF, e se você for tirar o NIF nas Finanças vão pedir comprovante de morada. haha É uma loucura, amigos. Então, às vezes você precisa ser firme e dizer – Olha, eu acabei de sair de lá e me foi informado que o que preciso fazer é isso e isso, portanto, preciso que a Senhora resolva o meu problema. Não seja mole nem tonga como eu, demorei para pegar essa firmeza para fazer as coisas andarem. 

Junta da Freguesia

É nesse lugar que você tira seu comprovante de morada. Pesquise no Google qual é o mais próximo da sua casa. É muito importante ter o comprovante de morada, e o que eu fiz para ter foi bem mambembe, se é que se pode dizer assim…Como o apartamento que eu fui morar não tinha contrato, eu fiz o esquema de colocar minha morada no sistema da Universidade e quando eles imprimiram um documento para mim, saiu meu endereço. Portanto, com isso em mãos consegui tirar o NIF.  Tendo o NIF + o papel da Universidade fui até a Junta da Freguesia, e ela me perguntou se eu tinha um amigo português para assinar e comprovar minha morada, eu disse que não porque não morava aqui há muito tempo e ela disse – ok, não devia deixar passar mas vou. 0.0 Não faz sentido ter que levar um português para um órgão público, certo? Eles não são objetos que você leva na bolsa. O atestado da junta sai no dia seguinte, e com isso, a sua vida fica fácil.

obs: Mas caso você tenha um amigo português que possa te acompanhar nessa, ajuda bastante. Outra coisa que fiz foi ir na MEO  fazer um contrato de telefone e dei minha morada sem nenhum comprovante. Um mês depois chegou uma conta em meu nome, era tudo o que eu queria.

NIF – Chegue nas Finanças bem cedo, e não vá na do Chiado porque é cheia. O NIF sai na hora e às vezes pedem morada, às vezes não. Portanto, você também pode arriscar ir nas Finanças antes da Junta da Freguesia, por exemplo…Eu levei o papel da Universidade que tinha minha morada e me deixaram, mas repito, cada caso um caso. Apenas não se estresse se você voltar pra casa sem resolver muita coisa.

Conta em banco: Eu abri no Santander por ter a facilidade de ter uma sede dentro da Universidade que estudo (FCSH), então, foi bem fácil. Senão, procure o Activo Bank, que facilita bastante a abertura. É MUITO importante agilizar isso rápido, porque a MINORIA dos lugares em Portugal aceitam outro cartão que não seja o que eles chamam de Multibanco, que é o Sistema Português.

Dicas extras nada a ver com o SEF:

Cartão Transporte: Agiliza isso rápido, mores. Não fique pagando passagem por cada vez que você usa. Vá até o Cais do Sodré ou a estação do Marquês de Pombal (vá cedo, porque há limite de atendimento), e pague um valor mensal para utilizar livremente na cidade, acho que tá em torno de 37 euros por mês. Para fazer o cartão você precisa levar seu passaporte, preencher o requerimento entregue na hora e uma foto tipo passe com fundo liso.

6345babc-c5b8-4804-9be3-3b4a5a954a87

E depois de alguns meses você vê o resultado:

d732b0fe-cde6-4201-880a-2b4658fd793d

#sobrevivi – Calma, não é tão complicado. É bom passar por cima das burocracias, enxergue apenas como um checklist que você precisa se livrar, e que logo tudo se ajeita.

Boa sorte!

ps: eu tenho uma rotina puxada aqui, por isso, não consigo responder um por um, mas mesmo assim quis fazer este post de utilidade pública.

 

Ela inventou uma profissão: arqueolojista.

Ela inventou uma profissão: arqueolojista.

por em Inspiração, Viagem

A portuguesa Maria Miguel Pereira é um desses seres que nos enche de inspiração. Ela é jornalista, fotógrafa, linda e arqueolojista. Quê? Sobre sua invenção inventada, ela define que arqueolojista é “pessoa apaixonada por lojas antigas que se dedica à caça, descoberta e catalogação dos achados do comércio tradicional.” Mami Pereira gosta é de bater perna […]