raw vegan

Vegana é sua mãe.

por em Geral, Inspiração

Sou amiga da Julia Harger há muitos anos, e graças a este mundo virtual, acompanho suas aventuras desde que ela foi para a Austrália. Desde que a conheço ela sempre foi vegetariana mas, com o tempo, ela foi em busca de vários outros caminhos para uma vida mais equilibrada, como a yoga, alimentação vegana e medicinas naturais. 

A Ju acabou de ter uma neném linda chamada Dominique  (Domi <3) e durante sua gravidez ela compartilhou muitas coisas legais, desde receitas cruas, até posições de Yoga que a ajudaram muito. Agora, imersa no mundo da maternidade, a Julia resolveu criar uma página em português para falar de todos esses assuntos, e o nome não poderia ser melhor: Vegana é sua Mãe.

10957681_389725941208973_8696299431784541178_n

[B] Ju, sei que faz muito tempo que você é vegetariana. Mas e vegana, todo tempo ou quando é possível?

[Julia] Você diz “quando é possível, pois o estilo de vida vegano por completo é utópico, certo? Por exemplo, não conseguimos negar a anestesia quando fazemos uma cirurgia ou negar soro antiofídico no caso de sermos picados por uma cobra. Sou adepta do veganismo que é tangível e praticável, quando tenho opção, opto por produtos e serviços livres de exploração animal. A minha alimentação já é restrita (digo “já” é pois foi um processo longo de transição com varias recaídas) e é preciso me atualizar cada dia mais e melhor para poder apoiar empresas que não lucram com exploração de animais.

[B] Quando você engravidou, como foi?

[Julia] Quando engravidei, minha alimentação absolutamente não foi alterada. Apenas tive que tomar suplementação de ferro (assim como qualquer grávida onívora) e vitamina B12, que sempre tomei e tomo ainda hoje. Na verdade, fui bem mais apoiada do que eu esperava pelos profissionais que me acompanharam. A visão de que necessitamos a proteína da carne ou o cálcio do leite é arcaica: nossos exames de sangue estão aí provando isso rs. Infelizmente, existem indústrias muito poderosas que vivem prestando desserviço ao nosso movimento, criando mitos que, por conveniência ou para o próprio conforto moral, as pessoas optam por acreditar. Por isso, voltando à pergunta – a minha gravidez foi igual a qualquer outra, se não mais saudável. Engordei 8 quilos que perdi em uma semana apos dar à luz.

[Bru] Como vai ser com sua filha, você vai optar por não oferecer alimentos de origem animal?

[Julia] Acredito que falar “não oferecer alimentos de origem animal” é uma maneira equivocada de educar para o veganismo, não devo impor nada a ela. Assim como qualquer mãe que educa, vou passar meus valores para ela e vou informá-la sobre a verdade. Um filho herda os valores dos pais, pois aprende durante a educação. Aqui em casa somos muito apaixonados por animais e com certeza vou ensiná-la a respeitar e amar a todos, ela vai ter muito contato com eles. Tudo que acontece na indústria agropecuária ela vai saber, eu não vou esconder a verdade dela, com o meu coração partido, é claro! Com certeza, enquanto estiver na minha casa, ela vai se alimentar do que eu fornecer e isso exclui qualquer alimento de origem animal. O pai dela não é vegetariano, mas em casa ele acaba sendo e com muito respeito (ele, como profissional da saúde, reconhece como positiva uma alimentação vegetariana e entende como o melhor para ela). Dessa forma sou confiante e positiva de que será um presente para ela ser habituada a se alimentar assim pois ela se livrará do conflito moral de amar uns e comer outros. As crianças tornam-se sensibilizadas e e se recusam aos hábitos que possam de alguma forma contribuir para o mal estar animal. Infelizmente, aquilo que nos move quando levamos nossos filhos para colher frutas não nos move para levamos aos matadouros. Precisamos levá-los para que conheçam as duas formas de preparo de alimentação.

10929217_379515478896686_3485355906174073768_n

[Bruna] Passa alguma receita raw (crua)? <3

[Julia] Ok, vou passar a do cream cheese que foi sucesso no meu chá de bebê (servi ele com palitinhos de cenoura, salsão e pepino).

Ingredientes:

1 1/2 copos de castanha de caju

1-2 dentes de alho

1/4 copo de azeite de oliva (que seja prensado a frio)

2 colheres de chá de suco de limão

sal a gosto

levedura nutricional a gosto (opcional)

Como fazer: deixar as castanhas hidratando da noite pro dia, elas amanhecem com uma consistência “borrachuda” e fácil de processar. Retire a água, coloque todos os ingredientes em um processador de comida (ou liquidificador também funciona) e pronto!

11047203_398422067006027_16086497_n

[Bru] Morando na Australia você acha que foi mais simples fazer grandes mudanças na alimentação?

[Julia] Há algum tempo, eu achava que sim, mas atualmente participo de vários grupos e fóruns vegetarianos brasileiros, e observo que a comunidade está crescendo a cada dia, e consequentemente as opções no Brasil também. A diferença é que quando cheguei na Austrália e ainda não havia me inserido socialmente, procurava frequentar grupos e encontros de pessoas vegetarianas, por isso acabei me relacionando muito mais com pessoas veganas por aqui, o que facilitou a mudança nos meus hábitos alimentares. Também em função dos finais de semana livres, tinha como “hobbie” fazer trabalhos voluntários em organizações como PETA e Animals Australia, por isso, meu network vegetariano é mais abrangente por aqui.

Para acompanhar as boas dicas de Julia, você pode seguir o Julia Harger Yoga (em inglês) ou Vegana é sua mãe (em português).

11058373_1615445632004367_5003792515101759909_n

Receita de queijo de semente de girassol: vegana e crua.

Receita de queijo de semente de girassol: vegana e crua.

por em Geral

Eu não sou vegana, nem vegetariana, nem crudívora. Mas como pouca carne e gosto muuuuito da cozinha vegetariana, acho mais gostosa, mais rica, mais criativa. Mas, com a sorte da vida, tenho vizinhos muito mais saudáveis que eu. Eles já me ensinaram a cozinhar várias coisas e sempre pego boas ideias deles. Semana passada a […]